A.Vogel Suplementos Naturais

Blog Oficial Avogel Portuguesa

Artigos acerca ‘Saude’

Sugestões para uma páscoa saudável

por Dr. Natiris, activo 2 Abril 2015, Saude

A Páscoa está a chegar e com ela chegou também o bom tempo, proporcionando esta altura do ano uma boa ocasião para fazer uma pausa, passear e viajar, em família ou com amigos.

pascoa

Muitas comemorações, reuniões familiares, bebidas e refeições abundantes (com comidas especiais e os inevitáveis chocolates e amêndoas doces tão característicos desta época festiva), estar fora de casa, alterar as rotinas e, por vezes, diminuir a prática de exercício, são condições favoráveis ao descuido com a alimentação e hidratação do corpo, que se pode reflectir num aumento de peso, tão inestético como indesejado. Os doces fornecem um excesso de açúcar e gordura que incrementam a taxa de glicemia e os níveis de triglicéridos. E nem mesmo as doenças cardiovasculares escapam à ingestão destes alimentos tão apetecidos.

Para aproveitar da melhor maneira esta altura do ano, sem ficar com peso na consciência, aqui ficam algumas sugestões para uma Páscoa mais saudável:

1. Prepare refeições ligeiras e frescas: A Páscoa coincide com o início da primavera e com o aumento da temperatura; aproveite a subida do termómetro para fazer refeições mais leves e frescas, que ajudam a combater o calor e a manter um peso mais saudável.

2. Procure oferecer presentes a amigos e familiares, na forma de lembranças sem chocolate, como flores, livros, DVDs e CDs, principalmente aos amigos que seguem um plano alimentar de contenção de calorias: é mais saudável e menos calórico!

Diga NÃO às compras compulsivas: No período da Páscoa, os chocolates e doces típicos desta época tomam conta das prateleiras dos supermercados. Cuidado! Planifique os menus e faça uma lista de compras, desta forma vai evitar ceder a tentações. Vá ao supermercado com tempo e sem fome.

3. Escolha a refeição antes de entrar no restaurante: Nos dias de descanso é natural que não lhe apeteça cozinhar; assim, no restaurante, decida o que irá comer e faça o seu pedido antes dos seus acompanhantes, para não se sentir tentado a mudar de opinião.

4. Faça várias refeições de forma a não estar mais de 3h30m sem comer; tentando manter cinco refeições ao longo do dia poderá controlar melhor o seu apetite. Fora de casa, as horas passam e nem nos damos conta. No entanto, é importante manter uma rotina e tentar estabelecer um horário, para distribuir correctamente a ingestão de calorias e manter um trânsito intestinal estável.

5. Hidrate-se para combater o calor: Para uma parte da população, a Páscoa coincide com os primeiros dias de praia, sendo necessário ter atenção à conveniente hidratação do organismo; é aconselhável que se faça a ingestão de líquidos, na forma de água, chá frio ou refrescos sem açúcar, de modo regular, para cumprir os 2-2,5L de líquidos recomendados diariamente.

Uma boa hidratação previne o aparecimento da fadiga e o cansaço.

6. Procure uma alternativa aos doces e gelados: Um belo passeio, temperatura amena e um saboroso gelado são a combinação perfeita para um dia de primavera. Do ponto de vista nutritivo, o gelado pode ser bom ou razoável, dependendo dos ingredientes utilizados na sua confecção. Porém, há ainda aqueles que não apresentam qualquer interesse nutricional, cheios de açúcar e aditivos artificiais, verdadeiros inimigos da linha. Os batidos, granizados ou gelados de iogurte são aliados com que podemos contar, têm menos calorias que um gelado e são igualmente saborosos e refrescantes.

7. Resista ao buffet livre: É normal que, nas saídas em grupo, as refeições se façam em restaurantes que disponibilizam o serviço de buffet livre, para que cada pessoa possa decidir livremente o que comer. Restaurantes do tipo buffet livre ou all-you-can-eat predispõem ao aumento do peso. Veja todas as suas opções, decida o que vai comer e faça um prato com uma refeição de tamanho normal. Uma das dicas saudáveis mais interessante é sentar-se de costas para o buffet, assim você não passa a refeição toda olhando para todos aqueles alimentos gostosos e tentadores.

8. Não esquecer o exercício: Depois dos chocolates e do almoço de Páscoa, a preocupação é queimar as calorias extras consumidas. Mas, o que fazer para queimar calorias? Pode fazê-lo de forma agradável e divertida!

Estar num lugar diferente é uma boa oportunidade de o explorar enquanto faz exercício. Investir em actividades ao ar livre, como caminhar e pedalar, ir à praia, são uma forma simpática de se manter em forma.

Se já está matriculado no ginásio, não desanime! A ordem é mexer o corpo para fazê-lo queimar mais calorias do que consome. Dançar, nadar, saltar à corda, use a sua imaginação!

Benefícios do castanheiro da índia no sistema circulatório

por Dr. Natiris, activo 30 Março 2015, Saude, Suplementos naturais

A eficácia do Aesculaforce (Aesculus hippocastanum L) (castanheiro da índia) está científicamente estabelecida.
Melhora a tonicidade das paredes das veias. Estimula a irrigação sanguínea. Impede a exsudação nos tecidos assim como a formação de edemas.

Ajuda no caso de:

  • Varizes
  • Pernas inchadas
  • Pernas pesadas e dolorosas
  • Cãibras
  • Vénulas dilatadas
  • Repara as paredes venosas danificadas

Aesculus hippocastanum L.: A protecção natural das veias.

Entre várias principios activos, o castanheiro da índia contém principalmente Aescina, um principio eficaz. Combinado com outros compostos a aescina tem as seguintes propriedades:

  • Reforça o tónus venoso
  • Trava a hiperdilatação das veias
  • Reduz a permeabilidade e a fragilidade capilar
  • Pára as exsudações através das paredes venosas danificadas.

Porquê plantas frescas

– A estrutura natural da planta é preservada.

– Os métodos analíticos modernos confirmam que os preparados à base de plantas  medicinais frescas são mais ricos em principios activos.

– Como consequência o poder curativo das plantas frescas é muito superior.

– A secagem e a armazenagem prolongada das plantas conduz a uma redução dos componentes voláteis.

 

O aparelho circulatório

O aparelho circulatório divide-se em 2 partes: o sistema arterial e o sistema venoso. As artérias transportam o sangue do coração para os órgãos. As veias desempenham o papel oposto, fazem refluir o sangue “usado” ou “azul” para o coração. Estes dois sistemas são ligados pelos capilares que permitem as trocas entre o sangue, os tecidos e as células do organismo. O coração bombeia o sangue usado das veias para os pulmões, para o oxigenar antes de o enviar novamente para as artérias.

 

As Veias

10% do sangue volta ao coração pelas veias superficiais ou cutâneas, e 90% pelas veias profundas.

As paredes das veias são finas e flexíveis. Muitas veias, particularmente as das pernas, são munidas de válvulas. Uma vez que o Homem tem uma posição vertical, o sangue presente nas veias das pernas deve contrariar a gravidade para poder subir para o coração. As veias das pernas são por conseguinte dotadas de múltiplas válvulas dispostas de quatro a cinco centímetros, que se abrem e se fecham novamente à passagem do sangue e impedem o refluxo do sangue para baixo.

A aspiração do sangue dos pés para o coração é o resultado de vários mecanismos. Assim, a compressão da abóboda plantar, a contracção dos músculos dos tornozelos e das coxas puxam o sangue para cima. Os movimentos respiratórios facilitam igualmente o trabalho e diminuem a pressão do tórax em cada inspiração. É por isso que caminhar é o exercício físico que permite limitar os riscos de insuficiência venosa.
Nos países industrializados, 20 a 30% das pessoas têm varizes.
A partir dos quarenta, uma mulher em cinco e um homem em dez já foram afectados.

95% dos casos são de varizes primárias.

As outras, varizes secundárias, prejudicam as veias profundas. As consequências são graves e comportam riscos de trombose venosa profunda e de tromboflebite.

Nos casos de varizes primárias, Primeiro as pessoas sentem dor, seguida de sintomas como edema, pernas pesadas, cãibras e pontadas.

Percentagem de sintomas sentidos:

  • Dor: Aproximadamente 70%
  • Edema: Aproximadamente 60%
  • Pernas pesadas: Aproximadamente 47%
  • Cãibras: Aproximadamente 39%
  • Pontadas: Aproximadamente 20%

As varizes resultam de uma dilatação das veias provocada pelo enfraquecimento das suas paredes. As válvulas não se podem fechar outra vez de modo completo permitindo o refluxo sanguíneo. O sangue acumula-se e estas veias perdem então a sua elasticidade e ficam tortuosas e fibrosas.

Complicações possíveis:

Eczema varicoso – erupção na pele, vermelhidão

Úlceras varicosas – não cura rapidamente, frequentemente crónico

Vermelhidão (edema) nos tornozelos – sobretudo no fim do dia

Ruptura de varizes – provoca uma hemorragia interna ou externa

Dermite ocre – pigmentação definitiva e anormal ao nível dos tornozelos

Flebite – inflamação da veia, podendo mesmo provocar uma embolia pulmonar

 

As hemorróidas são varizes das veias do ânus. A pressão nas veias na junção do recto e do ânus força a válvula e favorece o desenvolvimento de hemorróidas.

As veias dos testículos podem também tornar-se varizes. Este estado chama-se varicocelo.

As varizes podem aparecer também na região da vulva (varizes vulvares).

Factores de predisposição

Hereditariedade: em cerca de 2 em cada 3 casos, parece existir uma tendência familiar mas nenhum gene específico foi isolado para explicá-la.

Idade: a elasticidade das veias e a sua capacidade de se contraírem diminui com a idade. As veias têm então mais tendência para se danificarem.

Obesidade: as veias das pernas são suportadas pelos tecidos fibrosos situados exactamente sob a pele. O excesso de tecido adiposo não oferece um apoio suficiente e permite que as veias se distendam.

Estar de pé ou sentada muito tempo: agrava o combate contra a gravidade.

Pressão: uma vez que a parede das veias é fina, qualquer aumento de pressão entre elas causa a sua distensão. Esta pressão pode resultar da gravidez, de um excesso de peso ou da obstipação.

Hormonas: as mulheres correm mais riscos devido às flutuações hormonais no período premenstrual, na gravidez e na menopausa, que enfraquecem as paredes venosas. A pílula anticoncepcional é posta em causa.

Consumo de álcool e tabaco.

Os sinais clínicos de insuficiência venosa crónica (IVC) podem ser classificados em 3 fases, de acordo com a gravidade.

Fase I: Fluxo sanguíneo obstruído ao nível dos tornozelos, sem afectar a pele.

Fase II: Sinais de obstrução do fluxo sanguíneo aos tornozelos, com afecção de pele como uma mudança de coloração, indurações ou eczema.

Fase III: Úlceras

Primeiros sintomas:

  • Dor nas pernas
  • Cãibras nocturnas nas pernas
  • Pernas pesadas
  • Vermelhidão, pontadas, sensação de queimadura
  • Impaciências nocturnas
  • Sintomas avançados
  • Veias azuladas, dilatadas e dolorosas
  • Veias rebentadas
  • Protuberâncias isoladas ou em rosário ao longo
  • das veias
  • Inchaço dos tornozelos (edema)
  • Eczema e úlcera sobre as pernas
  • Coloração amarelada ou acastanhada na pele, em particular nos tornozelos

As tromboses, ou seja a coagulação do sangue no sistema circulatório, formam-se geralmente nas veias. O sangue tem tendência para coagular quando a circulação diminui. O sangue que repousa nas varizes sinuosas circula lentamente e apresenta por conseguinte um maior risco de coagulação.

As tromboses venosas, o “coágulo na perna”, são caracterizadas pela coagulação do sangue nas vias cava dos músculos das pernas. Entre os factores de predisposição, conta-se o estar de pé prolongado, a imobilidade, a obesidade, a pílula contraceptiva e a idade.

Quando as veias trombosadas sofrem uma inflamação, dão lugar a uma tromboflebite. Quando uma veia comporta um coágulo de sangue, os tecidos vizinhos sofrem uma inflamação, levando à exsudação do sangue das veias. Na sequência da desvitalização dos tecidos, pode produzir-se uma inflamação e uma infecção.

A presença de coágulos sanguíneos na rede venosa profunda pode levar à embolia pulmonar (circulação de coágulos, designada embolia, através da corrente sanguínea que posteriormente se depositam na artéria pulmonar. É um estado grave que é necessário tratar o mais depressa possível.

Sintomas:

  • Dor na região inflamada e sensibilidade ao toque
  • Vermelhidão, inchaço da zona afectada
  • Febre, mau estar geral
  • Factores de risco
  • Ter varizes
  • Gravidez
  • Permanecer em pé durante longos períodos
  • de tempo
  • Cateteres
  • Utilização de drogas injectáveis

Aesculaforce (Aesculus hippocastanum L) (castanheiro da índia) é um produto da marca Avogel representada em Portugal pela Natiris

OVERDOSE de remédios para gripes e constipações:

por Dr. Natiris, activo 24 Novembro 2014, Saude

O Inverno é a estação em que ocorrem mais frequentemente as dores de cabeça, febre, dores no corpo e sem nos apercebermos começamos a tomar paracetamol e remédios para a gripe que podem levar a excesso de dosagem, sem nos apercebermos.gripe

Um estudo realizado por pesquisadores do Edinburgh Royal Infirmary [1] explorou esse risco e analisou os dados de 663 pacientes internados no hospital com lesões no fígado causados por paracetamol. Destes, um espantoso número de 161 pacientes foram diagnosticados por aquela expressão conhecida como “overdose escalonada” – tinham tomado excesso de doses de paracetamol e/ou paracetamol contendo medicamentos para tratar problemas específicos, incluindo constipações e gripe.

O ainda mais preocupante, foi a constatação de que dois em cada cinco pacientes morreram desta overdose.

Existe uma quantidade máxima diária descrita na embalagem de cada medicamento, que não deve ser ultrapassada. No entanto, as pessoas tendem a perder o controlo da quantidade que tomam e isto é especialmente verdade quando se está doente. Além disso, muitas pessoas não sabem que o paracetamol pode ser encontrado em muitos produtos convencionais (sintéticos) utilizados para tratar gripes e constipações.

É frequente um doente seguir as instruções de uma embalagem e tomar a quantidade correta de um medicamento que contenha paracetamol para constipações e gripes, e por causa das dores musculares e febre contínuas, usar também paracetamol com efeito analgésico.

Assim se vê como facilmente a quantidade de paracetamol usada pode acumular-se involuntariamente.

Esta parábola pode muito bem preocupá-lo com o paracetamol e tratamentos que utiliza para as gripes e constipações. Mas a moral da história é esta – estar ciente do que compõe o remédio que está a usar e das escolhas que tem aquando do tratamento de qualquer condição de saúde. SE TIVER DÚVIDAS PROCURE SEMPRE O SEU MÉDICO E NUNCA RECORRA À AUTOMEDICAÇÃO.

Com certeza que muitas pessoas que lêem este artigo conhecem os benefícios da Echinacea para tratar os sintomas de gripes e constipações. Além disso, são provavelmente menos adeptas, do que a média das pessoas, de usar paracetamol. Contudo poderá ter pessoas próximas: família ou amigos, que não estão tão familiarizados com os benefícios de Echinacea:

– As pesquisas e bases científicas com Echinacea é forte [2,3,4,5] e Echinaforce de A.Vogel gotas e comprimidos são licenciadas sob os mesmos regulamentos que os medicamentos convencionais. Echinaforce trata os sintomas de gripes e resfriados, reforçando o sistema imunológico.

Um dos principais benefícios da utilização de Echinaforce é este produto feito à base de extracto fresco de Echinacea, não contém o paracetamol e se necessitar de adicionar medicação contra as dores fazê-lo sem os riscos identificados pelos investigadores em Edimburgo.

Para além da toma de Echinaforce, vamos ver algumas formas de fortalecer o sistema imunitário:1645

 

 

  • Cuide da sua dieta – ter o cuidado de ter 5 refeições – ao -dia
  • Reduzir ou cortar açúcar, que compete com a vitamina C
  • Reduza a quantidade de alimentos gordurosos que consome
  • Evite o álcool e tabaco
  • Durma o suficiente
  • Relaxe, sorrir e rir em voz alta, pelo menos 3 vezes por dia

Pode comprar Echinaforce no JardimVerde.pt

ECHINAFORCE_FORTE

[1] Craig DGN et al. British Journal of Clinical Pharmacology 2011 DOI: 10.1111/j.1365-2125.2011.04067.x
 [2] Linde K et al. Echinacea for preventing and treating the common cold. The Cochrane Library 2006; 1: 1-39
 [3] Schoop R et al. Echinacea in the prevention of induced rhinovirus colds: a meta-analysis. Clin Ther 2006; 28 (2): 174-183
 [4] Shah SA et al. Evaluation of Echinacea for the prevention and treatment of the common cold. A meta-analysis of randomised, controlled trials. Amer Coll Clin Pharmacol. September 2006
 [5] Ritchie MR et al. Phytomedicine 2011; 18: 826 – 831

Por: Dr. Jen Tan, em 6 Novembro 2014, Cold & Flu

A próstata, uma pequena glândula que deve permanecer discreta…

por Dr. Natiris, activo 17 Outubro 2014, Saude, Suplementos naturais

A próstata é uma exclusividade masculina. Trata-se de uma pequena glândula do formato de uma castanha cujo papel é segregar o liquido nutritivo que vai alimentar e proteger o esperma no momento da ejaculação. Normalmente, a próstata cumpre o seu papel sem se falar dela até ao dia em que, envelhecendo, começa a inchar e vai comprimir o canal urinário. Esta hipertrofia da próstata provocando desconforto, dado que impede a bexiga de se esvaziar totalmente criando assim uma necessidade frequente de urinar, tanto de dia como de noite. Bem entendido que no inicio este sintoma é muito discreto mas com o passar dos anos acentua-se ao ponto de ser necessária uma intervenção cirúrgica.

 

Quais são as causas da hipertrofia da próstata?

É necessário mencionar que a hipertrofia da próstata atinge mais que 50% dos homens com mais de 60 anos e a sua frequência é directamente proporcional à idade. Trata-se de um verdadeiro envelhecimento fisiológico e normal, quase que inevitável como é o caso da perda de visão ou da perda de memória.

No entanto nem toda a gente envelhece á mesma velocidade, nem na mesma idade. Existem pessoas com 80 anos que nunca tiveram problemas com a próstata!

Os factores que podem acelerar o processo de hipertrofia da próstata estão ligados com a higiene de vida:

– Regime alimentar

– Tabaco

– Diabetes

– Hipertensão

– Stress e falta de exercício físico.

Constatamos que estes factores são já responsáveis pelo envelhecimento precoce do organismo, o que demonstra bem que a hipertrofia da próstata é um processo degenerativo que pode ser retardado ou parado por medidas higieno-dietéticas.

 

Factores biológicos eficazes para conservar uma próstata sã

Existe principalmente um nutriente milenar conhecido pelas suas propriedades benéficas e dos quais as investigações científicas modernas vieram a confirmar:

As bagas de palmeira-anã são utilizados há muito tempo como um tratamento à base de plantas para sintomas de uma próstata dilatada, um problema comum em homens com mais de 50 anos, também conhecido como hiperplasia benigna da próstata ou HBP.

Foram objecto de vários estudos clínicos controlados pondo em evidência uma acção claramente favorável no aumento do fluxo urinário e na frequência das micções de dia e de noite.

Outras substâncias biológicas e naturais são conhecidas recentemente pela sua acção benéfica sobre a próstata; a vitamina E natural, o selénio e o extrato de acerola reforçam as barreiras anti-oxidantes do organismo e aumentam as capacidades de resistência.

Do seu lado, o zinco é um importante factor anti-envelhecimento do qual temos carências frequentemente. Encontramo-lo normalmente em forte concentração na próstata e foi demonstrado que um aporte moderado de sal e de zinco melhora o conforto urinário dos homens.

 

PROSTASAN da AVOGEL: Uma simbiose bem sucedida para proteger a sua próstata

Prostasan® contém um extracto de bagas de palmeira-anã. Um produto natural tradicional à base de plantas, utilizado para o alívio dos sintomas urinários emergentes de uma próstata dilatada, em homens com um diagnóstico confirmado de Hipertrofia Benigna da Próstata (HBP), baseado exclusivamente na utilização de longa data como produto tradicional.

Tomar 1 cápsula por dia.

Depura o fígado em uma semana

por Dr. Natiris, activo 21 Agosto 2014, Saude

O fígado é um dos órgãos mais importantes do nosso organismo. Tem a grande capacidade de autorregeneração, mas também é um dos órgãos que mais sofre devido à má alimentação, aos hábitos tóxicos e às emoções negativas.

Neste artigo explicaremos como realizar uma completa depuração do fígado em um prazo de sete dias.

Como sabemos se estamos com o fígado sobrecarregado?
Há vários sintomas que nos confirmam que deveríamos depurar nosso fígado:

Más digestões: o fígado é fundamental no processo digestivo, pelo que as más digestões, com dores abdominais, prisão de ventre ou gases são sintomas de problemas hepáticos.
Estado de ânimo: o mau funcionamento do fígado afeta também nosso estado de ânimo, causando-nos irritabilidade, desânimo e ira.
Olheiras escuras embaixo dos olhos.
Dores no olho direito
Cor amarela na pele e na esclerótica do olho
Hipertensão arterial
Alergias e problemas cutâneos

Preparação para a semana depurativa

Posto que a depuração durará uma semana, é importante que sigamos estritamente as pautas que daremos e que antes e depois desta semana, também procuremos não realizar abusos de nenhum tipo, para evitar reações do corpo. Se tomamos medicações ou temos algum problema de saúde, deveremos consultar um médico antes de realizá-la.

Finalmente, devemos assinalar que quando se faz uma depuração às vezes aparecem alguns sintomas da limpeza que podem ser dores de cabeça, cansaço, um pouco de febre, diarreias etc. Por isso, recomendamos consultar sempre um médico especialista.

Alimentos proibidos
Durante esta semana evitaremos totalmente os seguintes alimentos:

Álcool
Frituras
Carne vermelha
Pré-cozidos
Lácteos
Açúcar branco
Adoçantes artificiais

Em jejum
Quando nos levantamos pela manhã é quando finalizamos o jejum noturno, durante o qual nosso corpo descansou e se regenerou se realmente houve um bom descanso. Por isso é muito importante escolher bem o que consumiremos para romper com o jejum.

Beberemos em jejum dois copos de água morna e em seguida tomaremos uma colher de sopa de suco de limão e uma colher de azeite de oliva extra virgem. Com estes passos tão simples, limparemos o organismo, colocaremos nossos órgãos em funcionamento e ativaremos o fígado.

O café da manhã
Meia hora depois pode-se tomar o café da manhã. Recomendamos começá-lo com um suco natural de laranja ou toranja. Se quiser adoçá-lo, adicionar um pouco de mel de abelha ou stévia.

Em seguida poderemos escolher entre um dos seguintes cafés da manhã, que poderemos ir alternando diariamente se assim quisermos:

Opção 1: Batida de fruta (maçã, pera, abacaxi ou banana ) com uma bebida vegetal de aveia ou arroz, uma colher de levedura de cerveja, uma colher de pólen moído, um punhado de uvas-passas e amêndoa moída.
Opção 2: Torradas de pão integral com tahine (patê de gergelim) e abacate.
Opção 3: Sanduíche de pão integral com cenoura.

No meio da manhã
Posto que essa depuração não é um regime de emagrecimento, não temos que passar fome. Por isso, se tivermos fome no meio da manhã, poderemos comer algum pedaço de fruta ou um punhado de frutos secos.

O que deveremos tomar todos os dias no meio da manhã será uma infusão de alguma das seguintes plantas medicinais:

Boldo
Cardo-mariano
Dente-de-leão

Almoço
O almoço se baseará em três pratos que poderemos combinar ou misturar?

Primeiro prato: gazpacho, salada ou maçã assada
Segundo prato: Arroz integral, quinoa, massa integral, milho ou batata cozida ou assada no forno.
Terceiro prato: Peixe, carne branca ou legumes
Podemos temperar as refeições com azeite de oliva extra virgem, um poco de sal marinho e vinagre de maça.

Finalizaremos a refeição igualmente com uma das infusões que mencionados anteriormente.

No meio da tarde
No meio da tarde, poderemos comer algo como no meio da manhã, e beberemos a terceira e última infusão do dia.

Jantar
Se quisermos cuidar de nosso fígado, os jantares devem ser sempre leves e não muito tarde, já que o fígado se regenera nas primeiras horas da madrugada, e para fazê-lo tem que ter terminado o processo digestivo.

Portanto, recomendamos, durante esta semana, basear o jantar em um creme de legumes caseiro, que poderemos acrescentar algas, óleo de linhaça e um pouco de gérmen de trigo. Se sentirmos mais fome, poderemos comer um ovo (omelete ou cozido) e algumas torradinhas de arroz ou milho.